Assista cultos ao vivo

sábado, 24 de setembro de 2016

QUEM ERAM OS ANABATISTAS?





Acho importante conhecermos melhor a origem dos ANABATISTAS, bem como o significado dessa palavra. Vejamos: Segundo o pastor Gilberto Stefano,

com a desfraternização dos cristãos entre os anos de 225 a 253 A.D., surgiu dois grandes blocos de cristãos. O bloco dos anabatistas e o bloco das igrejas erradas. Nesta matéria trataremos especificamente com o futuro que tomou as igrejas fiéis cognominadas de "anabatistas".

QUEM FORAM OS ANABATISTAS?

Nos livros de história e em muitas enciclopédias encontraremos algumas notas sobre quem foram os anabatistas. Em alguns livros são chamados de "dissidentes", e em outros de "seita de heréticos". Há escritores que não querendo se comprometer com sua maioria de leitores católicos ou protestantes, chama-os de "fanáticos religiosos".

Observando estas poucas entre muitas referencias erradas sobre eles, podemos analisar cuidadosamente. Eram dissidentes? Não. Dissidente é uma pessoa que se separa de outro por algum motivo. Eles não se separaram de ninguém. Apenas não concordavam com heresias dentro da igreja. Se uma igreja tem 20 membros. Quinze resolve mudar a fé. Cinco permanecem fiéis. Quem decidiu? Os quinze que estão no erro ou os cinco que permaneceram fiéis? É evidente que dissidente é aquele que saiu daquilo que está certo e firmado.

Chamá-los de um ajuntamento de heréticos é o mesmo que chamar os apóstolos de heréticos. Não foram os anabatistas que mudaram de fé. Nunca foi a intenção de um anabatista mudar aquilo que Deus ordenou. Heréticos foram os pastores e membros das igrejas erradas, os mesmos que posteriormente foram conhecidos como católicos. Os anabatistas não eram uma facção de cristãos. Eles eram os verdadeiros cristãos. Portanto, seita foi a igreja - Católica - que surgiu tendo como membros indivíduos e pastores excluídos por motivos biblicamente corretos.

Também não eram fanáticos religiosos. Seguir a Cristo como manda as escrituras não é ser fanático, é ser discípulo verdadeiro. Discordar de heresias não é fanatismo, é zelo pela palavra de Deus. Seria os apóstolos fanáticos? Zaqueu foi um fanático por querer fazer a vontade de Deus? Paulo foi um fanático quando condenou a idolatria? Pedro foi um fanático quando discordou da salvação pelas obras? De forma alguma. A maior prova de que os anabatistas não eram fanáticos está no exemplo dos primeiros cristãos mencionados no livro de Atos.

Podemos afirmar com certeza que os anabatistas foram os verdadeiros seguidores de Jesus entre os anos de 225 até os anos de 1600. Homens que amavam servir a Cristo. Eram cristãos que não concordavam com o erro grotesco de ver pessoas acreditando que o batismo ajudava na salvação; Cristãos que não aceitavam em ver um bispo monárquico querendo mandar no rebanho de Deus. Igrejas que tiveram a coragem de excluir do meio cristão original as igrejas heréticas. Foram eles os autênticos sucessores dos apóstolos na obediência a Jesus e a sua Palavra.

O QUE SIGNIFICA ESTE APELIDO?

O próprio título confessa que o sobrenome dado aos cristãos fiéis - anabatistas - é um apelido, e tem tudo a ver com o propósito para o qual ele foi dado. Anabatistas é uma palavra grega que significa "batizar outra vez". O prefixo "ana" quer dizer outra vez, e a raiz "batista" significa mergulhar ou batizar nas águas. Assim, quando uma igreja era chamada de anabatista por outra, significava que ela batizava outra vez os membros vindos das igrejas erradas.

ONDE E QUANDO SURGIU ESTE APELIDO?

Este apelido foi usado pela primeira vez na Ásia Menor para distinguir nesta região as igrejas fiéis das erradas. O local mais aceito como sua origem é na Frígia, local de onde saiu o pastor Montano para pregar contra os dois erros mencionados no segundo capítulo, os quais, corrompiam as igrejas cristãs. Montano foi um pastor muito itinerante, e por isso sua mensagem se esparramou por toda Ásia Menor, fazendo que as igrejas dessa região permanecessem fiéis a doutrina recebida pelos apóstolos. Montano viveu cerca de 156 A.D. Foi justamente nessa época que as igrejas da Ásia Menor resolveram rebatizar membros vindos de igrejas erradas. Então pela primeira vez uma igreja foi conhecida como "anabatista".

Oficialmente ele é usado em 253 A.D., pelo bispo romano Estevão que, indignado com o fato de ver sua igreja excluída pelas igrejas da Ásia, resolveu chamá-las de "anabatistas". O fato é que depois do bispo romano ter se manifestado, todas as igrejas que não concordavam com a idéia de Salvação através do batismo e da necessidade de um bispo monárquico, foram conhecidas como anabatistas.

O POR QUE DESTE APELIDO

Talvez o leitor esteja confuso e pergunte o por que dos cristãos ter a necessidade de receberem outro apelido além de cristão.

Um crente fiel ao Senhor tem muito amor aos ensinos da Bíblia. Jesus ao enviar a grande comissão dá três ordens: Fazer discípulos; batizar; e ensinar as coisas que ele ordenou; Então, uma igreja fiel irá: pregar, batizar e ensinar o que ele ordenou. Note que ele diz: "vos tenho ordenado". Ordem é ordem. Mandamentos são mandamentos. A igreja não pode fazer aquilo que não lhe foi ordenado, mas somente o que Jesus mandou. Por isso as igrejas fiéis não podiam e nem podem se submeter a erros heréticos como mudar o plano de salvação e a chefia da igreja!

A exclusão das igrejas erradas em 225 A.D. pelas igrejas fiéis foi uma atitude necessária para a conservação do evangelho puro e original. Assim como um membro profano deve ser excluído do seio da igreja, da mesma forma uma igreja profana deve ser excluída da comunhão com as outras igrejas fiéis. O próprio Senhor Jesus nos ensina no livro de Apocalipse que o simples fato de uma igreja não ser fria nem quente é motivo de ser "vomitada". Queiram os ecumênicos ou não, já no segundo século havia dois tipos de cristãos: os fiéis ao evangelho e os infiéis. Os infiéis, excluídos em 225, já não tinham mais o direito de batizar, ao menos que se reconciliassem. Como isso não aconteceu perderam totalmente a ordem do batismo. Aceitar o batismo de uma igreja excluída é o mesmo que aceitar que um crente excluído saia por aí batizando todo mundo. Conclui-se que o rebatismo de membros vindos de uma igreja excluída é algo necessário, pois quem não recebe o batismo de uma igreja biblicamente aceita, não recebeu o batismo cristão.

Portanto, o apelido anabatista, só apareceu porque as igrejas erradas não quiseram arrepender-se de seus erros. Além do que, não se chamaram assim, mas foram pelas igrejas erradas assim chamados. O fato dos anabatistas não terem repudiado o apelido significa que o mesmo estava de acordo com uma realidade da época, ou seja, precisava ter rebatizadores para enfrentar as heresias das igrejas erradas.


Se você deseja saber mais sobre a origem das igrejas cristãs escreva para:


Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

A AD EM SÃO JOSÉ DOS PINHAIS, PREPARA 62 NOVOS CAPELÃES:


  1. A AD de São José dos Pinhais, realizou a primeira turma de Capelães com 62 participantes. A cerimonia ocorreu neste dia 21 de setembro.
    Vamos melhorar o atendimento aos necessitados, pois capelania é a Assistência Religiosa e Social prestada aos serviços Civis e Militares, prevista e garantida pela Constituição Federal de 1988, sob a Lei 6923 art. 5 e inciso VII.
    A Capelania ganhou muita força nestes últimos anos, principalmente no Brasil pelas Lideranças Evangélicas, já que... os hospitais, presídios, escolas, universidades e outras instituições vem se preocupando com a qualidade no atendimento das pessoas com carências espirituais, afetivas e emocionais, necessitando de uma pessoa de estimulo e entusiasmo.
    A especialização em Capelania é um dos Cursos mais procurados pelas Lideranças Evangélicas do Mundo.
    O objetivo da Capelania é de oficializar esta atividade dentro das leis do nosso País. Para isso é necessário o treinamento e capacitação do Capelão para desenvolver suas habilidades dentro das áreas Social e Religiosa com Qualidade. Orem por essa equipe!
    Pr Ival Teodoro da Silva
    Ver mais

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

NÃO IMPORTA:



    Se você é bom...
    Se você é feliz...
    Se você está abençoado...
    Se você tem amigos......
    Se você é honesto...
    Se você é pai...
    Se você é filho(a)...
    Se você é mãe...
    Se você compra...
    Se você vende...
    Se você paga...
    Se você tem saúde...
    Se você é rico...
    Se você tem carro...
    Se você tem casa...
    Se você é engraçado...
    Se você é sério...
    Se você é você...
    Não importa, segundo uma pesquisa:
    45% Das pessoas não estão nem aí para você.
    20% Nunca ouviram falar do teu nome.
    13% Outras mais nunca saberão da sua existência.
    10% Já tem opinião própria ao teu respeito, nada do que você faça, irá mudá-las.
    5% Sabem de algum fato realicionado a você.
    4% Conhecem você.
    2% Realmente convivem com você.
    1% Acredita e sabe do teu potencial.
    Marcos Fernandes - Rio, 06 de setembro

    Ver mais

sábado, 27 de agosto de 2016

A TATUAGEM E A BÍBLIA




Atendendo muitos pedidos para voltar a falar sobre o tema em apreço, solicito que leia com atenção essa matéria, pois a Bíblia diz:
“Não
...fareis lacerações na vossa carne pelos mortos; nem no vosso corpo imprimireis qualquer marca. Eu sou o Senhor." (Levíticos 19: 28).
Pelo contexto de Levíticos 19: 28 e Deuteronômio 14: 1, 2 podemos compreender que os golpes e marcas no corpo, tinham relações com rituais pagãos, que envolviam a memória de mortos, faziam parte da identificação e vinculação da pessoa com crenças em deuses e rituais pagãos e era uma violência praticada contra o corpo.
Assim, não é recomendável que um cristão marque seu corpo com tatuagens, pois o seu corpo é um templo do Espírito Santo. Veja I Coríntios 6: 19, 20:
"Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus."
O dragão, preferência absoluta entre os jovens, testemunha o desejo de auto afirmação.
Porém, o dragão na Bíblia simboliza Satanás. Veja Apocalipse 12:9; 20:2:
"E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama o Diabo e Satanás, que engana todo o mundo; foi precipitado na terra, e os seus anjos foram precipitados com ele."
"E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo, e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos."
Os cristãos devem portanto ouvir as recomendações divinas que estão registradas na Bíblia e procurarem em tudo obedecer a Jesus e seguir o Seu exemplo, desligando-se de tudo do mundo que não é edificante.
Você pode ficou preocupado depois de ler essa mensagem, em relação à tatuagens que foram feitas antes de conhecer a Cristo, isso é muito fácil resolver. Vejamos: Se não consegues apagar a tatuagem feita antes de conhecer a palavra, Deus não levará em conta as coisas passadas, mas daqui para frente saibas que não és mais inocente. Leia esses textos sagrados:
"Ora, não levou Deus em conta os tempos da ignorância; agora, porém, notifica aos homens que todos, em toda parte, se arrependam" (Atos 17:30).
“Não fareis lacerações na vossa carne pelos mortos; nem no vosso corpo
Pedro de forma veemente disse: "Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo" (Atos 2:38). Mais tarde, Paulo escreveu que Cristo voltará no dia do julgamento "em chama de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a Deus e contra os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus" (2 Tessalonicenses 1:8).
Vosso nos laços eternos,
Pastor e Psicopedagogo Ival Teodoro da Silva

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

HISTÓRIA DOS 68 ANOS DA AD EM SÃO JOSÉ DOS PINHAIS:



Qualquer historiador que traçar a origem das Igrejas Assembléias de Deus no Brasil, em um Estado ou em um Município, como é o nosso caso, terá que se remeter, obrigatoriamente, ao início do século passado e deter-se na citadíssima Rua Azuza em Los Angeles, Califórnia, nos Estados Unidos. Esse foi o berço do avivamento pentecostal da atualidade. O movimento logo se espalhou pela América do Norte, contagiando dois jovens que haviam emigrado da Suécia: Daniel Berg e Gunnar Vingren.
Após se conhecerem em uma Convenção Pentecostal em Chicago, os dois operários suecos receberam de Deus uma chamada especial para disseminarem as boas novas do Evangelho em terras brasileiras.
Por um breve período, congregaram em uma Comunidade Batista em Belém do Pará, até que suas idéias pentecostais entraram em choque com a doutrina tradicional da Igreja hospedeira. Foi assim que no dia 18 de junho de 1911 os missionários Daniel e Gunnar fundaram na rua Siqueira Mendes, 67, na cidade de Belém do Pará, a Igreja Evangélica Assembléia de Deus no Brasil. A expansão foi notável e sem paralelo na história eclesiástica.
Em Curitiba, foi o Pastor Bruno Skolimowski que, em 1928, chegou trazendo a mensagem pentecostal e fundando a Igreja Evangélica Assembléia de Deus nesse pujante estado Paranaense.
Vinte anos depois a mensagem pentecostal finalmente chegou à cidade de São José dos Pinhais, já no ano de 1948. O Pastor Olímpio Mamede foi quem começou a dirigir os primeiros cultos evangelísticos que se realizavam inicialmente na residência da Irmã Antônia Morais Belo, localizada bem atrás da Igreja Matriz.
Apesar das muitas lutas que aquele pioneiro passou, a obra foi crescendo e o número de salvos aumentando dia-após-dia. Apenas três anos depois, já em 1951, o Pastor Olímpio Mamede passou a estar com o Senhor, assumindo a direção da obra o Pastor Crizógono Mamede que também realizou excelente trabalho.
Nesse mesmo ano a Irmã Maria Gonçalves Cordeiro, num lindo ato de amor, doou um terreno para a construção da sede da Igreja. Convém ressaltar que, inobstante o fato de ser viúva, isso não a impediu de contribuir grandemente para o progresso da obra do Senhor nessa cidade.
O Irmão Crizógono juntamente com sua esposa Ambrozina e seu filhos Judite, Joel, Samuel e Noêmia (Nena - esta coordenou por muitos anos o Círculo de Oração da IEAD-Central em Curitiba), formavam uma grande família. Contaram ainda com outros Irmãos igualmente pioneiros, tais como: Aristides de Paula, Tobias dos Santos, Artur Pereira, Ervino Shon e esposa além de outros mais, cujos nomes estão registrados no Livro da Vida.
Outros pontos de cultos iam sendo abertos e a obra de Deus seguia avançando em marcha acelerada. No ano de 1957, a irmã Ana Melo (Nica) iniciou as reuniões das senhoras, que mais tarde passou a se chamar "Círculo de Oração".
Em 24 de Outubro de 1959 foi realizado o 1º casamento em nossa Igreja de S.J.Pinhais e o 2º casamento foi realizado em 23 de Abril de 1960, ambos celebrados pelo Pastor Crizógono Mamede, cujos noivos foram: Waldir Dutra e Lídia Cordeiro Dutra e Artur Pereira da Cruz e Hilda de Paula Cruz, respectivamente.
Com a doença do Pastor Crizógono que em seguida passou a estar com o Senhor, o Irmão João Dolinski, esposo da Irmã Ana Dolinski, assumiu a direção da Igreja por um curo período de três meses.
Em 1963, o Pastor Antônio Camargo tomou posse na presidência da Igreja em São José dos Pinhais, que até então era um campo eclesiástico autônomo. No ano seguinte, em 1964, o Pastor Antonio Camargo, no intuito de fortalecer a obra e o campo, achou por bem ligar a Igreja ao campo eclesiástico de Curitiba.
No período em que o Pastor Antônio Camargo de saudosa memória permaneceu a frente da Igreja, e com a ajuda dos irmãos de São José dos Pinhais, foram iniciados vários trabalhos, com destaque para a abertura da igreja e construção do templo do Boqueirão. Ainda nessa época foi criado o Coral Misto "Harmonia Pentecostal", cujo primeiro maestro foi o Irmão Antônio Nascimento.
Com a chegada do Pastor José Pimentel de Carvalho a Curitiba em meados de 1976, a obra em São José dos Pinhais sofreu grande impulso acompanhando a expansão operada por sua administração no campo de Curitiba como um todo.
Vários pastores dirigiram a AD de São José dos Pinhais, dentre os quais destacamos os seguintes: Pastor e fundador Olímpio Mamede, Pr Crizógono Mamede, Pb João Dolinsk, Pr António Camargo, Pr Aírton Batista, Pr Onofre Frizzas e Pastor Ermelino Camargo, que foi substituído pelo Pastor Ival Teodoro da Silva, cuja posse se deu no dia 4 de dezembro 1986, o qual veio transferido do Distrito do Jardim Gabineto em Curitiba. O pastor Ival permanece na direção dessa obra até a presente data e vem realizado excelente obra pastoral e expansionista em todos os setores da Igreja.
Em 18 de agosto de 1991 o templo do Pedro Moro foi concluído e inaugurado, graças ao apoio do saudoso Pastor José Pimentel de Carvalho, e o grande empenho do Pastor Ival Teodoro da Silva, com a igreja e equipe de Obreiros. Várias congregações foram sendo implantadas ao longo do tempo, sendo que hoje contamos com várias congregações espalhadas nesse município.
Já no último dia 08 de fevereiro de 2006 quando o Pastor José Pimentel de Carvalho completou 90 anos de idade e mais de quarenta de ministério frente a IEADC, a Igreja de São José dos Pinhais foi autonomizada, juntamente com mais vinte campos eclesiásticos compostos por 28 municípios no total.
Assim, em 18 de fevereiro de 2006 foi fundada juridicamente a Igreja Evangélica Assembléia de Deus de São José dos Pinhais - IEADSJP. sob a presidência do Pastor Ival Teodoro da Silva.
Com essa grande visão do saudoso Pastor José Pimentel de Carvalho, ícone da AD no Brasil, ganhou a Igreja, ganhou o município, e ganhou sobretudo, a obra do Senhor. A partir disso, as ações administrativas e eclesiásticas tornam-se mais dinâmicas, imprimindo maior eficiência aos seus resultados. Ressaltamos ainda, que nesta ocasião o município de São José dos Pinhais, já contava com 36 congregações e
sub-congregações. Hoje pela bondade de Deus, a união da igreja, dos dirigentes, da diretoria e o esforço do Pastor Ival Teodoro da Silva com sua família e em especial da sua laboriosa esposa Professora Aparecida Alves da Silva, já podemos contar com 73 congregações. Sendo que a maioria dessas, tiveram seus terrenos adquiridos e construídos os seus templos, com arquiteturas modernas e atuais. 
O campo investe na evangelização através de programas de televisão, rádio e internet, pois até os nossos cultos são transmitidos ao vivo pela web tv. Ainda podemos contar com um caminhão equipado para a evangelização, além de uma áreia de seis mil metros quadrados, comprada na administração atual, com o objetivo de construir um grande centro de eventos, para acomodar os fiéis, nas grandes festividades do campo.
Além de outras realizações o pastor Ival na área musical, reativou a Orquestra Acordes Celestes e o coral Harmonia Pentecostal. Criou o grupo vocal de adolescentes Êxodo, o coral feminino Heroínas da Fé, o grande coral Unidas para Louvar e o grupo Semear. No aspecto educacional, foi criado a semana de educação cristã, cujas aulas acontecem todos os anos e reúne mais de oitocentos alunos. A semana da mulher cristã é outra criatividade fenomenal. O passeio ciclístico anual, a EBJ e o trabalho de escola para adolescentes, são criatividades de alto valor para a igreja. A IEADSJP é também missionária, sustentando atualmente mais de setenta famílias, que estão espalhadas na África, no Paraguai, no Japão, no Paraná e outras regiões do nordeste do Brasil. 
A IEADSJP, tem se destacado no cenário nacional, haja vista o pastor Ival Teodoro da Silva ter sido eleito presidente da CIEADEP, seis meses depois da emancipação do campo, cargo que exerceu por oito anos consecutivos, com excelentes resultados.
Atualmente o mesmo ocupa o cargo de 1° Vice-Presidente da CGADB, realizando um reconhecido trabalho de unidade e pacificação, junto às lideranças do Brasil.
Oremos para o pleno êxito da nossa Igreja nessa cidade, onde gozamos de grande conceito e respeitabilidade, graças a inesgotável misericórdia do Senhor nosso Deus, o bom relacionamento e eficiente administração do pastor Ival Teodoro da Silva.
Maranata! Até aqui nos ajudou o Senhor.
São José dos Pinhais, 18 de agosto de 2016.

Seguidores